Conhecendo a nossa família

Gente amada de Deus!

Tem um tempinho que não escrevo no blog. Ando ocupado com algumas outras coisas, mas penso logo logo voltar a escrever com certa frequencia.

Deixo para o momento um texto simples, porém carregado de um significado muito especial. É de um professor e amigo meu.
Vale a pena conferir.
Boa leitura!

Em meu livro anterior, Teófilo, escrevi a respeito de tudo o que Jesus começou a fazer e a ensinar, até o dia em que foi elevado aos céus, depois de ter dado instruções por meio do Espírito Santo aos apóstolos que havia escolhido“. (Atos 1.1,2).

A identidade só é completa se houver história. Observe o seu RG. Lá contém dados da sua história, como data de nascimento e nome dos pais. No sobrenome está a história de uma família. Desta, você faz parte e continuará fazendo parte dela muito depois de ter partido deste mundo. Além do nome da família que carregamos, temos outra família, muito mais antiga. Essa família é reunida em torno do nome de Jesus Cristo, e atende pelo nome de “cristãos”.

Lucas, em dois versículos, nos conta um pouco da história da obra de Jesus Cristo, nosso ancestral mais antigo (Rm 8.29). Ele remete seus leitores ao seu livro anterior, isto é, o Evangelho de Lucas. Neste livro ele narrou tudo o que Jesus Cristo começou a fazer e a ensinar, até o dia em que foi elevado aos céus. Certamente que os primeiros cristãos tinham em mente que Jesus não os havia deixado, e muito menos encerrado suas atividades. Jesus continuava entre eles.

No primeiro versículo, Lucas escreve sobre o que Jesus começou a fazer e a ensinar. Sabemos que Jesus não era um mestre de palavras. Muito mais do que isto, Ele era um mestre da ação. Ele não ensinava sem fazer, e não fazia nada sem aproveitar para ensinar. Neste fato está uma importante memória sobre a nossa família, algo que está em nosso DNA: somos pessoas que fazem e ensinam. Nossa família é praticante daquilo que fala (Tg 1.22), e isso vem desde os primórdios da nossa história.

No segundo versículo, Lucas escreve sobre a continuidade da obra de Jesus. O Cristo continuaria a fazer e a ensinar através dos apóstolos que Ele escolhera. Os apóstolos foram as primeiras testemunhas autorizadas por Jesus para proclamar o Reino de Deus. Mas, ao ler o livro de Atos, sabemos que essa proclamação se estendeu a todos os demais cristãos, de todas as tribos, línguas e nações, no tempo e no espaço. Com isso, essa missão chegou até nós. Nossa família ainda está cumprindo a missão que Jesus Cristo deixou.

Ainda no segundo versículo, Lucas escreve sobre o meio pelo qual nossa família realiza a missão. Jesus nos deixou instruções por meio do Espírito Santo. Este é um membro da nossa família cuja responsabilidade é nos encher de poder para sermos testemunhas de Jesus (Atos 1.8). É através Dele que a nossa família permanece unida (Ef 2.18; 4.3). E é através Dele que a nossa família conhece o seu destino (Ef 1.13-14), pois é Ele quem orienta o nosso caminho (Exemplo: At 16.6-10).

Nossa família é a maior de todas as famílias da Terra. Mas nem todos os membros da nossa família se entendem como deveriam. Há divisões, falta de compreensão, falta de conhecimento e entendimento da nossa história. Que através de você, outros irmãos e irmãs conheçam a nossa história. Que através de nós, nossos familiares compreendam a nossa missão. Que através dos cristãos, muitas pessoas sejam inseridas na nossa família, na família de Deus (Ef 2.19).

Israel Mazzacorati
http://www.comunhao.org.br/devocionais/israel-mazzacorati/219-familia.html

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: